terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Vila Dique

Mais nove famílias foram transferidas ontem (20/12) para o novo loteamento da Vila Dique, localizado na Avenida Bernardino Silveira Amorim, bairro Rubem Berta. Serão 1476 famílias a trocar de vizinhança: da irregularidade ao lado da pista do aeroporto de Porto Alegre às casas bem construídas de alvenaria próximas ao Sambódromo Porto Seco. Pelo que tenho visto conversando com os moradores do novo loteamento, uma ótima troca.















E a chegada na casa nova...









10 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Bah, dando uma de Tadeu Vilani na Dique...hehe

    Duca a do espelho! Te puxaaaannno...

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. heheh ainda falta muuito pra isso, meu caro.
    vindo do sr, que já trouxe ótimas fotos de lá, muito obrigado!
    abraços
    té!

    ResponderExcluir
  4. marina! a menina era uma graça, bateu o pé até receber atenção lá e o cara da mudança pegar suas coisas... tu podia já ir treinando teu trabalho com as crianças aqui mesmo! ;)
    beijo

    ResponderExcluir
  5. Bah!
    Que fotos boas, Gui.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. parece que um dos carrinhos de bebê está triste de ir embora na foto 5. hahaha

    ResponderExcluir
  7. Muito boa reportagem! Parabéns! Vou trancrever algumas fotos para meu blog COMPROMISSO CONSCIENTE.
    Sucesso!
    Marise Jalowitzki
    Escritora
    Porto Alegre - RS

    ResponderExcluir
  8. Minha experiência dos 10 meses em que acompanhei as famílias desta comunidade devo discordar de tua análise. Muitas famílias sim estavam empolgadas com a mudança, pois a insalubridade de 30 anos de descaso do governo seria superada, principalmente para as casas dos becos. Mas o que observei no novo loteamento eram as casas de alvenaria não tão bem construídas assim: antes mesmo de serem habitadas existiam rachaduras, as pias caiam já na chegada das famílias, paredes se desmanchavam com alguns impactos dos móveis entrando nas casas e mais tantas e tantas coisas que não podem serem caracterizadas como um "ótima troca"

    ResponderExcluir
  9. Nanda, pelo visto tens mais propriedade para falar do assunto. E não foi uma "análise" minha e sim, como havia dito, impressões de conversas que tive com quem estava recebendo a casa. A "ótima troca" são palavras dos moradores na hora da mudança, não minhas. Ainda me lembro da mulher dizendo que só ter uma casa no seu nome, regularizada e de alvenaria, já era outra coisa, com um baita sorriso no rosto. Relatei a satisfação que vi na oportunidade em que estive lá, simples. Não é uma análise histórica da vila, do descaso, da construção e dos problemas que devem existir e possam estar surgindo.

    ResponderExcluir